quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Complexo de William Wallace

Tenho internalizado um conceito de lealdade um tanto distante da realidade, tomo dores de amigos que não tomam as minhas e sinto uma empatia excessiva pelo outro. Chamo isso de Complexo de William Wallace.
Quem assistiu ao filme Braveheart (Coração Valente no Brasil) conhece a historia do homem que tomou as dores do povo escocês que se encontrava sob o jugo Inglês e lutou até a morte pela liberdade de seu país, estrelado e dirigido pelo gatão Mel Gibson. Assisti a esse filma varias vezes na infância junto com meu pai, tinha gravado em fita vhs e confesso que tinha muito mais estomago para as cenas do que hoje e acredito que foi nessa época que formei em minha personalidade essa empatia, essa lealdade para com o outro. Alias, no filme a Era do Gelo 4, existe uma repetição de uma cena de Braveheart, quando vão atacar o navio pirata e aqueles hamsters fofinhos em formação de batalha, tem seu lider com a cara pintada de azul e branco.
Mas essa lealdade de Will Wallece não funciona mais hoje em dia, não mais no dia-a-dia, quando mais importante que ser leal a um amigo, é ter trocentos que você mal conhece nas redes  sociais, quando vale muito mais o numero de curtidas em uma foto que a sinceridade, quando os compartilhamentos são mais importantes que a presença. Willian Wallace é lembrado até hoje e se tornou um herói para a nação escocesa, mas perdeu a mulher que amava e morreu prematuramente... Talvez ele devesse ter fugido. Talvez eu fuja.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Yin Yang e a Branca de Neve

   O Taoismo nos fala de dois lados, a escuridão e a luz, penso que existam três ou quatro... ou cinco, mas atentando-me a dois digo, o dia 31 de agosto.
    O dia 31 de agosto teve dois lados, o lado bom e o ruim, a grande felicidade e a decepção, o reencontro épico e o primeiro encontro que não deveria ter ocorrido, a benção verdadeira e a benção que na verdade era maldição, yin yang.
Incrível como boas intenções podem te por numa roubada e tanto, como a maçã da Branca de Neve, linda e venenosa, e a escolha de morde-la, talvez por estar "passando fome" tenha graves consequências... Estou passando as consequências! 
Será que um beijo apaixonado cura o veneno?
Será que pensar só no Yang e ignorar o Yin?
    No taoismo, doutrina chinesa, Yin e Yang se completam. Na física, dois corpos não ocupam o mesmo espaço, e pra mim, embora pequena, está muito apertado... Não fui capaz de visualizar naquele dia o Yin, pois a grandeza do Yang o ofuscava, a luz, o brilho. Eu preferi Yang, mas deixei Yin entrar na minha vida, mordi a porra da maçã, até por que, não foi uma bruxa quem a ofereceu.
   
   Expulsei Yin, vomitei a maçã, mas algo deu errado, e a culpa é toda minha, fiz a escolha, agora aguenta, dei pérolas aos porcos. Talvez precise conviver com Yin e Yang, engolindo seco tudo que sei, toda mentira e falsidade, ignorando as leis da física e dividindo meu espaço. Ninguém sabe o que eu sei sobre Yin ou que a bela maçã tem veneno. Deve ser por isso que certas aves não voam.