segunda-feira, 29 de abril de 2013

De forma indireta

É incrível como minha vida funciona, não estou me gabando, só contando uma história alias, não há motivo nenhum para me gabar.

Sempre respondi quando alguém me perguntava o que queria da vida, que queria sossego. Achava que isso envolvia muitas coisas pelas quais eu deveria lutar como, um trabalho incrível que pagasse bem e me deixasse em casa nos finais de semana, ou casar e ter um relacionamento estável, estudar, ter um carro, comprar um apartamento, ter filhos. Bom isso parece normal e razoável para qualquer um, mas descobri que não pra mim, não por nada, não que eu não almeje essas coisas, sim são desejáveis, mas eu estava pensando do modo errado, pensando que teria sossego quando atingisse esses objetivos e enquanto isso não tinha sossego. Eu estava agindo errado, buscando isso tão preocupadamente em conseguir que tudo só se afastava mais. Fiz coisas, coisas que me arrependo mas as quais preciso esquecer pois o arrependimento é só o passado tentando te destruir no presente.
E quando percebi que pra ter sossego eu não preciso de tudo isso, pelo menos não imediatamente, percebi que algumas pessoas nos fazem mal, nos põe pra baixo e nos fazem sentir menores. Alguns relacionamentos são péssimos e precisamos perceber isso, tem gente que te afunda, seja em 5 anos ou 5 meses não importa, e já outras, de forma tão indireta te mostram o caminho, te fazem feliz com um gesto mesmo que lá de longe, da califórnia. Gente que quando canta me arranca sorrisos e me deixa tranquila por dentro, por isso, escolhi essa foto, foto de coisas que me deixam bem, de pessoas que me fazem ver que eu já tenho o sossego que eu quero, que me fazem pensar que cantar é a melhor coisa do mundo. Agora quando alguém me perguntar como estou, a resposta será:

- Tô bem, tô sossegada!

 


terça-feira, 23 de abril de 2013

Essa sou eu!

Eu não gosto de sorvete de morango, de gente burra, de gato, aliás, DETESTO GATO. Não gosto de pagode, de funk e de plágios musicais coisa que brasileiro faz muito bem. Não gosto de Luciana Gimenez, de Celso Portioli e Gugu Liberato, também não gosto de Eliana, de Ana Hickman ( seja escrito assim ou não), não gosto de novela da Globo da Record então nem se fala, eu não gosto de TV ABERTA.
Não gosto de jaca, é o mesmo que engolir uma prasta de catarro!
Não gosto dos mendigos, dos cracolentos e não tenho pena, não gosto de ONG'S também. Não gosto de pirataria, não gosto da legislação penal brasileira, não gosto de operadores de caixa de super mercado que vendem bebida alcoólica sem pedir o RG do adolescente que compra. Não gosto de gente que acha que pra tudo tem " um jeitinho ", que burlam leis. NÃO GOSTO DE MEIO TERMO.
Não gosto de adolescentes, não gosto de cabelos alisados, não gosto de gente que se muda pra São Paulo por que não tinha nem o que comer na sua terra natal e fica reclamando da cidade dizendo que " SUA TERRA É QUE É BOA! "
 VOLTA PRA LÁ C......!
Não gosto de certos sotaques, não gosto de certos lugares, não gosto de desculpas.
Eu poderia dizer muitas coisas e escrachar minha opinião sobre o mundo, mas aprendi com a Joelma do Calipso e com o Ministro Feliciano que tem coisas que agente não sai contando por ai...
... Por falar neles, não gosto deles também!