segunda-feira, 30 de abril de 2012

Azeitona


Já sentiu alguma vez, uma dor sem sentido, que aperta, que machuca, que tira o fôlego e deixa seu nariz gelado? Eu tô sentindo isso, é tão estranho e parece que dói mais quando vejo certas coisas, coisas especificas. Eu me sinto tão atrasada, lembro que na adolescência eu me achava precoce em alguns pontos, no caso, amadurecimento, inteligência e devo isso a criação que tive, sempre fui esperta, me saía bem na frente das pessoas, adorava aparecer. Na escola então, ou me amavam ou me odiavam, uma legítima TORRE.
Hoje, estou numa relação de abismo comigo e migo mesma, parece que busco motivos pra ficar pior ao invés de melhorar. Eu tô tão triste. Sinto como se meu coração estivesse do tamanho de uma azeitona de tanto que se comprime aqui dentro de saudade.
Saudade, é uma coisa que quando dois sentem, é uma dorzinha besta que se cura com um abraço. Agora quando só um sente.... essa dor entra pra lista das piores do mundo. Eu fico numa ilusão besta de que vai vir, e não vem. Não sei o que é pior agora continuar me enganado ou aceitar a verdade. E esse frio agora, pra deixar tudo mais cinza, mescla, até isso faz lembrar.
Vou fazer 25 anos, e as coisas não estão como eu tinha plenejado, planos existem para serem frustrados. Se eu raciocinar, ir fundo em mim, vou ver que de certo modo, estão melhores, fiz tanta coisa que nunca imaginei fazer, poxa eu tive uma banda por um ano e foi tão divertido, eu morei 1 ano e meio em outra cidade, eu conheci pessoas que nunca deram a mínima pra mim, mas foda-se eu conheci algo diferente. Eu tenho tanta bagagem mas ainda falta algo, ainda faltam muitas coisas na verdade, meu medo é não dar tempo de fazer tudo isso. Ai como eu tô triste, e a culpa é só minha, preciso aprender a não me expor a esse tipo de situação, a situação que me levou a sentir esse coração de azeitona, essa saudade só minha.
Tem muita coisa pra eu fazer, pena essa necessidade de dividir que tenho me consumir tão dilaceradamente como tem feito, queria ser mais egoísta. Queria parar de sentir isso, queria não enxergar.

terça-feira, 24 de abril de 2012

Maiêutica


Aí eu fico pensando, é o que mais faço, é a única coisa que faço, eu penso. Quisera eu ser burra, ser setentinha feliz, e não pensar por que meu cérebro tá acabando comigo. Eu quero as respostas eu quero entender e aceitar e fico nessa busca insâna por sossego que não tenho desde que você se foi. Eu quero entender o por que das coisas, eu quero saber por que eu, por que ela, por que desistiu. Eu penso que fui eu, que não sou o bastante, que sou fraca, que sou chata, que sou feia, que sou ruim, que sou insignificante, que não sou atraente, que sou enjoativa, que perco a graça, que não importo, que não causo nenhum efeito ou sentimento que sou dispensável. Aí eu penso que foi você, que não sabe o que quer, que tem medo de sofrer, que ainda sofre, que tem duvidas, que quer continuar sofrendo, que não quer mudar. Mas no fim, eu sempre volto a questão que, simplesmente não gostou de mim e que eu não valho a pena. E eu não sei por que eu não consigo aceitar isso: Ele não gosta de mim! Por que raios eu não consigo aceitar isso? Será que me acho tanto assim, pra não aceitar que alguém não goste de mim? Na verdade eu acho que fiz tanto, que me preocupei tanto, que fui tão certinha e que fiz de tudo para agradar que por isso não estou aceitando. Eu enfiei na minha cabeça que seria a melhor pessoa quando agente estava junto, e por isso tá difícil. Porque não quer ficar comigo? Será que sou eu? Será que é você? Eu sou tão ruim assim? E por que eu não aceito? Porque eu ainda quero! Preciso parar de querer antes que meu cérebro pife de tanto pensar.... Não sei se foi você ou se fui eu.?
Foi você? Não fui eu. Mas será que foi eu? Acho que foi você. Será que foi? Mas por que foi?
O que foi?
Porque foi??????????????????????????????
?????????????????????????????????????????
??????????????????????????????????????????
????????????????????????????????????????????

sábado, 21 de abril de 2012

Mais que isso...


Eu realmente quero você, eu realmente quero você Muitos profetas pregaram de joelhos Muitos sacerdotes desperdiçaram vinho As manchas de sangue nessas ruas significam que eu perdi tempo?Há bordas prateadas no paraíso?Será que posso entrar vindo do frio?Eu matei um homem num lugar bem distante Meu inimigo foi dito.Eu realmente quero que você me queira Mas eu realmente não sei se você pode fazer isso Eu sei que você quer saber o que é certo,Mas eu sei que é tão difícil pra você fazer isso e o tempo correndo, mais rápido que o normal,E frequentemente dizendo que você não deve fazer isso Mas o destino não pode quebrar o que eu sinto dentro de mim Aquilo que queima nas minhas veias Eu realmente quero você, eu realmente quero você,Eu realmente quero você, agora Não importa o que eu diga ou faça A mensagem não está chegando E você esta ouvindo o som Do meu coração partido.Eu realmente quero você, eu realmente quero você,É um pobre homem, rico em solidão,Ou um complô com a Mãe Terra?O mendigo fez uma oração por um dia de sol,Mas a dama da sorte fez chover?Eles dizem que milhões de pessoas ficam pobres Para um ídolo de ouro Eu via a vida começar no barco em que estamos A história se mostrou Eu realmente quero que você me queira Mas eu realmente não sei se você pode fazer isso Eu sei que você quer saber o que é certo,Mas eu sei que é tão difícil pra você fazer isso o tempo correndo, mais rápido que o normal,E frequentemente dizendo que você não deve fazer isso Mas o destino não pode quebrar o que eu sinto dentro de mim Aquilo que queima nas minhas veias Eu realmente quero você, eu realmente quero você,Eu realmente quero você, agora Não importa o que eu diga ou faça A mensagem não está chegando E você esta ouvindo o som Do meu coração partido.Não importa o que eu diga ou faça A mensagem não está chegando E você está ouvindo o som Do meu coração partido.Eu realmente quero você Eu realmente quero você Eu realmente quero você...

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Aulas de Maurício: Complexo de Édipo


Relembrando conversas, você me disse umas duas vezes: Porque não escreve algo feliz?
Minha resposta foi que quando escrevo feliz não sai texto, sai música.
Então você disse: Porque não tenta?
Bom, não tento no momento porque que não há felicidade para escrever, porém, resolvi escrever algo diferente pensando em você. Não é feliz, também não é triste, é Psicologia!
Quando eu tinha 15 anos tive uma aula do Maurício sobre COMPLEXO DE ÉDIPO, e devido as atuais circunstâncias tenho feito bastante esforço para lembrar das palavras dele, então vou tentar escrever o que aprendi naquela aula de 10 anos atrás...
... Édipo foi um personagem da mitologia grega que matou o pai e caso-se com a própria mãe. Seu pai Laio foi alertado pelo oráculo de Delfos sobre essa maldição, assim quando Édipo nasceu, o pai o abandonou. Édipo foi encontrado por um pastor que o criou. Quando crescido, foi a Delfos que lhe deu a mesma previsão, achando que a profecia se tratava de seus pais adotivos, Édipo fugiu. Na fuga Édipo encontra um homem com quem tem uma briga e o mata, era seu pai Laio, e logo seguindo para sua cidade natural, casou-se por acaso com sua mãe. Édipo acreditava que seus pais de criação eram os seus biológicos.
O complexo de Édipo na psicologia trata-se de buscarmos no prospectivo parceiro nosso pai ou nossa mãe. Implica em parceiros com caracteristicas de nossos pais, sejam elas físicas ou de personalidade, positivas ou negativas, e isso é uma tendência humana.
Lembro bem das palavras do Maurício: Uma menina que teve um pai alcoólatra pode muito facilmente arrumar um namorado cachaceiro ou com outro vício, alguém com pais divorciados pode ter mais facilmente relacionamentos instáveis ou que terminei com certo tempo, assim como um garoto mimado pela mãe buscar uma noiva que lhe faça o mesmo.
Não é um fato determinante, mas é da natureza humana. Lembro que na época eu brinquei: Ai Mau, meu pai é careca!
E esses dias lembrando dessa aula, comecei a pensar no meu pai e em suas caracteristicas, meu pai é muito trabalhador e faz tudo pela família, é muito responsável, é vaidoso com perfumes, cozinha bem, sempre foi magro e sempre gostou de fazer algum exercício físico, adora filmes, não gosta de praia, quando empaca é mula, não fala muito de seus sentimentos só quando está explodindo, é carinhoso em gestos e não com palavras do tipo meloso, ele guarda coisas que algum dia o emocionou como cartões que fiz pra ele quando criança, e embora eu não seja dada a astrologia (acho que se isso funcionasse as revistinhas do João Bidu custariam mais que R$ 1,50) ele é de capricórnio.
Ando meio sem fé em nada, nem no Divino, nem no humano, mas talvez pensar nesse assunto, refletir no complexo de Édipo, explique algumas coisas. Espero que também te faça pensar.

domingo, 15 de abril de 2012

Transparência


Eu estou triste, destruída e assumo isso.
Eu não vou me esconder atrás de um falso sorriso.
Eu não vou me esconder de noite numa balada.
Eu não vou me esconder em saltos de para-quedas ou no meio da selva amazônica.
Eu não vou me esconder em festas, em bares.
Eu não vou me esconder em algum esporte idiota, no máximo caminho até o trabalho.
Eu não vou me esconder nas minhas músicas, alias acabou a inspiração pra elas.
Eu não vou me esconder em meus amigos, até porque, não tenho e os que tenho não merecem.
Eu não vou me esconder saindo todo fim de semana, ou comprando coisas inúteis.
Eu não vou me esconder no trabalho, vou nessa droga porque preciso.
Eu não vou me esconder quando alguém pergunta : Tudo bem? Respondendo: Tudo sim. Eu respondo: Não, mas estou aqui.
Eu não vou me esconder em alguém, como você fez comigo. Porque não se deve aproveitar dos sentimentos alheios como você fez comigo, embora eu sinta que por mim é difícil ter sentimento.
Eu não vou esconder o que sinto, quem me vê sabe, é quase como se lessem seu nome na minha testa.
Não vou tapar o sol com a peneira, deixa a tristeza fluir, deixa a saudade me inundar, quem sabe eu nela morra afogada.

" Cogito ergo sum "


Aos poucos estou percebendo onde meus caminhos me tem levado, onde minhas decisões e escolhas tem me feito passar e parece que adoro confundir as estradas. Deus errou no projeto do ser humano nos fazendo pensar com a cabeça e sentir com o coração, e assim ficamos burros, por que passamos a decidir as coisas baseados no que sentimos.
Nós sentimos primeiro e pensamos depois, quando na verdade, nosso coração deveria estar em segundo plano, por isso sofremos tanto, por isso eu sofro tanto. Se os olhos são a janela da alma, quem fica espiando pelas gretas é o coração e depois que o maldito vê algo que lhe dá desejo conta pro cérebro. Logo, jogamos a razão em cima do telhado e nosso coração no quintal de alguém. No meu caso, eu não simplismente jogo, eu planto no jardim do quintal. O coração nos faz tão mal que quando se decepciona faz com que o cérebro te faça sofrer, e ele passa a tomar decisões em cima da dor que o coração sente. Meu coração tira de mim a vontade do que gosto, me faz preguiçosa, me faz sentir culpa, me faz chorar mais do que aguento, faz mal a meus rins. Meu coração diz pro meu cérebro continuar sofrendo, continuar querendo, continuar amando.
Tão mais fácil seria, se a cabeça sentisse com a razão e o coração pensasse com a batida, o compasso da minha vida estaria no ritmo certo, e se nisso a boca falasse, minhas palavras seriam muito mais afinadas.
Se eu sentir com a cabeça e pensar com o coração, vou perceber que preciso me acalmar e esperar, vou aprender que se algo dá errado tem muitas outras coisas a se fazer e a tentar, e que também podem dar errado mas, sentir com a cabeça é estar preparado, armado, é analisar os fatos e aí sim, deixar o coração se meter na conversa. Mas enquanto eu não aprendo a fazer isso, vou continuar na cama, vou continuar na espera, vou continuar me enganado e sofrendo, assim como você tem feito por mais de 2 anos.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Você me deu de presente a dor que você sente.


Existem duas dores de amor:A primeira é quando a relação termina e a gente,seguindo amando, tem que se acostumar com a ausência do outro, com a sensação de perda, de rejeição e com a falta de perspectiva,já que ainda estamos tão embrulhados na dor que não conseguimos ver luz no fim do túnel.A segunda dor é quando começamos a vislumbrar a luz no fim do túnel.A mais dilacerante é a dor física da falta de beijos e abraços,a dor de virar desimportante para o ser amado.Mas, quando esta dor passa, começamos um outro ritual de despedida:a dor de abandonar o amor que sentíamos. A dor de esvaziar o coração, de remover a saudade, de ficar livre, sem sentimento especial por aquela pessoa. Dói também…Na verdade, ficamos apegados ao amor tanto quanto à pessoa que o gerou. Muitas pessoas reclamam por não conseguir se desprender de alguém.É que, sem se darem conta, não querem se desprender.Aquele amor, mesmo não retribuído, tornou-se um souvenir, lembrança de uma época bonita que foi vivida…Passou a ser um bem de valor inestimável, é uma sensação à qual a gente se apega. Faz parte de nós. Queremos, logicamente, voltar a ser alegres e disponíveis, mas para isso é preciso abrir mão de algo que nos foi caro por muito tempo,que de certa maneira entranhou-se na gente, e que só com muito esforço é possível alforriar.É uma dor mais amena, quase imperceptível. Talvez, por isso, costuma durar mais do que a ‘dor-de-cotovelo’propriamente dita. É uma dor que nos confunde. Parece ser aquela mesma dor primeira, mas já é outra. A pessoa que nos deixou já não nos interessa mais, mas interessa o amor que sentíamos por ela, aquele amor que nos justificava como seres humanos, que nos colocava dentro das estatísticas: “Eu amo, logo existo”.Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. É o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância,mas que precisa também sair de dentro da gente… E só então a gente poderá amar, de novo.

domingo, 8 de abril de 2012

Desvantagem


Analisando como tenho feito nos últimos dias, hoje, cheguei a resposta de uma das minhas várias perguntas sobre o que aconteceu, e a conclusão é Puta que pariu como eu sou trouxa!
Nos últimos 5 meses eu fiz tudo que mais gosto, na verdade, eu divide com você tudo o que eu mais gosto. Toda vez que agente ia fazer algo, sempre queria que eu decidisse, que eu escolhesse, a preocupação era fazer algo que eu gostasse, fazer algo que eu quisesse, que eu conhecesse.
Fomos aos meus shoppings, aos meus cinemas, vimos meus filmes, fomos aos meus bares, dormimos na minha cama, assistimos aos meus dvs e usamos o meu shampoo.
Nesse embalo, eu dividi minhas preferências, usava meus sapatos preferidos, lingeries, músicas e lugares, era tão perfeito.
Imaginei que era pra me agradar, me fazer sentir bem, porém, tudo isso agora não é mais meu, não é mais só meu, não tem mais só eu, tem você.
Dividi tudo que eu mais gosto, por isso agora não quero fazer mais nada dessas coisas.
INFERNO!

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Escorreguei...


É difícil fazer alguém feliz, assim como é fácil fazer triste. É difícil dizer eu te amo, assim como é fácil não dizer nada É difícil valorizar um amor, assim como é fácil perdê-lo para sempre.É difícil agradecer pelo dia de hoje, assim como é fácil viver mais um dia. É difícil enxergar o que a vida traz de bom, assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua. É difícil se convencer de que se é feliz, assim como é fácil achar que sempre falta algo. É difícil fazer alguém sorrir, assim como é fácil fazer chorar. É difícil colocar-se no lugar de alguém, assim como é fácil olhar para o próprio umbigo. É difícil pedir perdão? Mas quem disse que é fácil ser perdoado? Se alguém errou com você, perdoa-o... É difícil perdoar? Mas quem disse que é fácil se arrepender? Se você sente algo, diga... É difícil se abrir? Mas quem disse que é fácil encontrar alguém que queira escutar? Se alguém reclama de você, ouça... É difícil ouvir certas coisas? Mas quem disse que é fácil ouvir você?Se alguém te ama, ame-o...É difícil entregar-se? Mas quem disse que é fácil ser feliz?

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Eu Juro


Eu não achei que sentiria algo tão forte, juro. E eu tentei de tudo, tentei ser engraçada, tentei ser compreensiva, principalmente quando não compreendia.
Tentei ser amiga, tentei ser corajosa, tentei ser sexy, o máximo que eu pude. Tentei ser descolada, tentei saber de tudo mais um pouco, já que sei de tudo um pouco, tentei ser bonita o tempo todo, tentei agradar de todas as formas possíveis e impossíveis, as meninas da loja que o digam...
Tentei inventar, tentei conquistar, tentei até fazer ciúmes.
Tentei elogiar, tentei instigar, tentei mostrar o quanto sou madura, mesmo me sentindo uma adolescente ao seu lado e velha quando estava sozinha. Eu tentei não estragar tudo, eu tentei esconder minha ansiedade, acho que nunca tomei tanto floral na vida, rs.
Eu tentei não mostrar meus defeitos e ser perfeita, eu tentei até gostar de jaca.
No fim das contas, não adiantou nada. Eu tentei ser melhor do que sou, pra hoje me sentir a pior do mundo. Quem liga?