sexta-feira, 27 de maio de 2011

Me diz pra que enaltecer?



Aí de repente, você ta namorando!Pronto, coloca em tudo quanto é canto, na estante da sala, no criado no quarto, ao lado do telefone, dentro do guarda-roupa e não me admira se tiver também no banheiro.Conta pra Deus e o mundo e manda um monte de torpedo, sem falar na internet.....


.... No facebook FULANA ESTÁ EM UM RELACIONAMENTO SERIO COM FULANO, no orkut NAMORANDO, no msn entram nicks românticos e fotos, e grita no twitter pra todo mundo, até pra aquele artista que você segue e nem tá aí pra você.

E assim, enaltecemos o amor, o elevamos numa altura espetacular com seus primeiros dias, seus primeiros meses.... alguns... ganham um pedestal e duram a vida toda, já outros, levam a pessoa a uma relação de gratidão, onde o amor vira dívida que não se paga com dinheiro, mas com a alma, outros, viram palhaçada,principalmente pra galera muito loca ligada na net, quando com poucas semanas ou na primeira briga todo mundo fica solteiro!

Deve ser tão sublime, tão calmo, ou uma onda tão forte que te derrube e não te dê espaço para gritar a quem não precisa ouvir. O amor não se enaltece, enaltece-se sozinho.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Cegueira

E mais uma vez me engano, ou, olhei pro lado errado. Ultimamente não tenho feito boas escolhas, e me metido em confusão; chego a achar que é sina, karma sei lá chame como quiser.

O fato é que ando pondo os olhos onde não devo, e me magoou, decepciono, choro ou simplesmente ODEIO.

Com um pouco de coincidência ou déjà vu, escrevo esse texto, como se já o tivesse escrito,talvez seja a fotografia, ou a situação ou a inspiração ou o barulho do vento na janela me fazendo sentir só. E como se não bastasse o passado batendo a porta, o ultimo suspiro fez com que eu fechasse os olhos e descobrisse a resposta, preciso ser cega.

Se teu olho te faz tropeçar, arranca-o, o meu tem me derrubado, me dado knockout seja com um mês de palavras, de te queros e te adoros ou só com uma hora de música.

O jeito é ficar cega, ou só fechar os olhos, ou só não querer mais, ou só não mais sonhar.

domingo, 8 de maio de 2011

Madrugada






Eu juro que pensei que seria fácil assim,

jogar tudo pro alto, cuidar um pouco mais de mim.

Eu juro que pensei que não iria me entregar,

a um encanto de momento, ao seu jeito de me olhar.

Tolice a minha me enganar e fingir satisfação,

tolice a minha ignorar o seu pedido de perdão.

Faço gestos, pinto os olhos perseguindo o travesseiro

tem 3 noites que não durmo e sobrevivo o dia inteiro.

Porque não brigo?

Se é iminente eu brigar,

eu não imito, já que iram me imitar.

Eu to tentando congelar meu coração,

mas tem sempre um sonho novo a invadir o meu colchão.

Vi você em primavera, preto e branco, solução.

Na quarta noite que não durmo, você veio em inspiração.

Eu juro que pensei que não iria arrepender,

mas voltar no tempo agora, juro que iria querer.

Eu juro que pensei que iria ficar cansada
e que depois de você não me veria mais apaixonada.

Tolice a minha pensar que vai ficar por isso mesmo,

que vou fingir não enxergar todo seu sucesso em peso.

Tolice a minha te querer, pra me esquentar no frio,

vou disfarçar e dizer que te odeio, no dia 1° de Abril.