quinta-feira, 25 de novembro de 2010

A palavra é ... DISPOSIÇÃO


Numa conversa com um amigo, regada a cerveja

pelo MSN, surgiu o assunto CASAMENTO.

E agora, com a chuva caindo torrencialmente lá fora, a casa limpa e a minha cadela dormindo no canto da sala, veio a inspiração.

As vezes as pessoas querem assumir um compromisso,

um namoro quem sabe, mas se não existir disposição FORGET!

Todos somos egoístas, mas quando se trata da questão a dois,

por experiência própria, temos de deixar o egoísmo na gaveta de meias,

muitas vezes não assumimos um compromisso com alguém que pode ser

super especial, por medo de perder.

Perder privacidade, perder a cerveja com os amigos, perder o shopping com as amigas,

perder as noites em São Paulo.

Ter que dar satisfação então, parece doer mais que um soco no estômago.

Mas como eu disse, se não houver disposição, FORGET!

Hoje, eu sei como se conduz um relacionamento, a disposição que tanto digo, se refere a nada mais nada menos, que VISAR O INTERESSE DO OUTRO.

Estar disposta a não ligar para manias, gostos, a ignorar a cerveja com os amigos.

Estar disposto a agradar o outro, a fazer e permitir os desejos do outro. Claro, só funciona se ambas as partes estiverem dispostas, por que só VENHA Á NÓS, E VOSSO REINO NADA, ninguém merece.

Temos de estar dispostos a dar uma chance e se dar uma chance, pra ver o que acontece.

O importante é me preocupar se seus pés estão cobertos, e se você se preocupar com os meus,

os dois dormiram tranquilos.

domingo, 21 de novembro de 2010

A questão é... DISPOSIÇÃO


Estar disposto ou disponível, pra mim

é algo complicado, desde AGORA!

Vejo a atitude das pessoas e minha volta e começo a me questionar o quanto estou disposta a suportar certas coisas e estar disponível a estes.

Sempre busquei ser correta nas coisas que faço, seja por trabalho, por lazer, enfim, em tudo.

Meus pais me educaram a ser responsável em meus atos, e não me envolver com coisas duvidosas. Descobri que ter a cabeça no lugar é admirável e complicado, ser diferente da maioria dá trabalho, em vários aspectos, desde se mostrar ágil e compromissada até ouvir "pow sua responsabilidade com o seu trabalho e sua saúde acabaram com minha noite, FULANO era mais legal porque ficava ligado no 220w"

Eu sou a pessoa que não precisa de 220w pra funcionar, que vejo a alegria e a satisfação no reconhecimento do meu trabalho, e não no fundo de uma garrafa de VODKA (não que eu não beba,alias, adoro destilados. Mas não preciso lamber o fundo da garrafa)

Algumas pessoas se acham o máximo, e não percebem o que podem causar com as palavras.

Eu não preciso me vangloriar, eu não preciso criticar o trabalho alheio e muito menos ferir pessoas com palavras irrefletidas pra dizer que eu sou um máximo, que eu sou descolada mesmo que minha idade já não mais permita isso.

O meu brilho é natural, não me esforço pra aparecer. Sei fazer o meu trabalho e faço muito bem e ninguém faz como eu, por que meus olhos são meus olhos e ninguém tem o mesmo brilho.

E sei muito bem o meu lugar, e se incomodo? Bom é só dizer, a fila sempre vai andar.

Descobri que estar a disposição deixa as pessoas folgadas, e que por mais honroso que seja ser uma pessoas que cumpre horários, gente ignorante não dá valor a isso.

Bom, o fato de ter que lidar com esse tipo de coisa não irá me transformar numa irresponsável, prezo meus princípios, mas está me moldando a dar mais valor ao meu talento e perceber que algumas pessoas, não merecem toda a minha disposição.

Mas, estou disposta a suportar comentários toscos que podem me chatear, por que no final do show, depois de pular de salto 15cm, passar 3 dias de azitromicina,aturar um gordo idiota na plateia criticando o jeito que seguro o microfone, um abraço de alguém que você nunca viu na vida te dizer NOSSA PARABÉNS, VALEU A PENA VER SEU SHOW, superá qualquer comentário idiota de quem não valoriza minha DISPOSIÇÃO!

terça-feira, 16 de novembro de 2010

A verdade é que...


... Meus dias sem você são tão escuros,

tão compridos, tão cinzas meus dias sem você.

Meus dias sem você são absurdos,

tão amargos, tão duros meus dias sem você.

Meus dias sem você não tem noites,

se alguma aparece é inútil dormir.

Meus dias sem você são um desperdício,

as horas não tem princípio nem fim.

Tão faltos de ar

Tão cheios de nada

Sucata imprestável

Lixo no chão

Moscas na casa.

Meus dias sem você são como o céu,

sem luas prateadas nem rastros de sol.

Meus dias sem você são só um eco,

que sempre repete a mesma canção.

Tão faltos de ar

Tão cheios de nada

Sucata imprestável

Lixo no chão

Moscas na casa.


quinta-feira, 11 de novembro de 2010

1, 2, 3 e JÁ



2005 = bobagens=2007

stress = queda de cabelo = tristeza

infância= vô Chico = Saudade

cachorro = cocker = Tong

cadela= adelaide = decepção

escola = adolecente = ARKFTS

16 = 1° COLEGIAL = beijo

filosofia = MAURÍCIO = nunca mais ser a mesma

cantar = paixão = sonho

sofá = Internet = solidão

mãe = morato = ódio

setlist = trabalho = preguiça

sorvete = gelado = cólica

noite = descanso = insónia

sono = medo = remédio

céu = cinza = mal humor

raiva = decisão = revolução

academia = diversão= gargalhadas

endôrfina= sorriso = baton

perfume = salto = sair


sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Caber num abraço


O que agente faz para caber num abraço...

... Se preocupa em manter a pose, em falar o suficiente.

Em arrumar o cabelo pedir opinião sobre o que vestir,

se preocupa em saber dos gostos, cores, perfumes e sabores.

Se preocupa se claro ou escuro, se doce ou cítrico, se gato ou cachorro.

Para caber num abraço, agente espera, observa. Olha disfarçado e finge não perceber

olhares também.

Por fim, o bom é descobrir que o cheiro agradou, que a conversa fluiu sem maiores

policiamentos, que na hora você não mais se preocupa e o natural se torna visivelmente perfeito,

e que o abraço coube direitinho!