terça-feira, 20 de julho de 2010

Não sou atriz


Tento esconder o sal, tento disfarçar o cinza, tapar a chuva e fingir o sol.Digo que é dor de estômago, cólica menstrual, falo que é dor de cabeça pra omitir o real.


Mas não sei olhar nos olhos, e abaixo a cabeça, desvio o olhar, e por mais que pareça, sempre me traío segurando o choro, pois meu nariz fica vermelho. Então me olho no espelho, e posso ver minhas veias e artérias, vejo as células e os ossos, o pulmão que respira mais lento, o coração com um enorme corte, vejo os lipídios, glicídios e protídios e ainda um cérebro, com poucos neurônios restântes e muita confusão, entre lembranças, desejos, preocupações e milhões de cenas que vive e que crio.... E todos que olham no espelho também podem ver e assim descobrem meus segredos. Por mais que tente disfarçar, não funciona, o mundo vê minha alma.

domingo, 18 de julho de 2010

Brilho


E um vento me soprou, uma brisa leve com cheiro doce que se confundiu com meu perfume.Algo novo, diferente com a qualidade de um bom vinho, a beleza de um anjo e mistério, que me instiga desejo de decifrar, de descobrir...

Me causa alegria, leveza, me deixa numa situação agradável e ao mesmo tempo com medo, com medo de mim. Com medo de mostrar muito, ou esconder muito, mas com uma enorme vontade de viver, de sentir.Me disse que tenho algo bom, e que possuo um brilho especial.

Meu brilho estava guardado, escondido mas que esse vento com cheiro delicioso achou e trouxe de volta ao meu dia a dia turbulento.