quarta-feira, 21 de abril de 2010

Eu


Continuo procurando um lugar para me encaixar

Onde eu possa me expressar

Tenho me esforçado pra encontrar as pessoas

Que não irei deixar pra trás

Elas dizem que tenho cérebro

Mas elas não estão me fazendo bem nenhum

Queria que elas pudessem

Toda hora as coisas acontecem de novo

Penso que tem alguma coisa boa vindo pra mim

Mas dá errado

Ás vezes me sinto muito triste

Acho que não fui feita para esses tempos

Toda vez que tenho uma inspiração

Para mudar as coisas ao redor

Ninguem quer me ajudar a procurar lugares

Onde coisas novas podem ser encontradas

Como posso mudar quando meus amigos dos tempos bons

Me abandonaram

Sobre o que é tudo isso?

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Inércia


Não sinto calor ou frio,

nem cheio ou vazio.

Não sinto cheiro ou gosto,

se doce ou salgado

se amargo ou azedo.

Não sinto a chuva ou o vento.

Não vejo o velho ou o novo

Não vejo a cor ou o brilho

Não diferencio o cachorro do gato

Não importa se chinelo ou sapato

se pró seco ou kisuco

se lasagna ou ovo frito.

Não sinto feliz ou triste

Não vejo se belo ou feio

se está ou existe

Não ouço a musíca como antes

não sei se azul ou castanho

não sei mais minha idade

ou meu aniversário

não ligo se ta claro ou escuro

se é miriam ou armani

Não tenho pena se eu morrer

Não vejo a graça do querer...

... Durmo por que dá sono, como por que dá fome, trabalho por que pago aluguel.

No mais, sou uma MOITA.... ÁS VEZES BALANÇO.